Publicidade

LightBlog

O Jornal Pioneiro de Brasília e a Cidade de Águas Lindas de Goiás


Escola Municipal Darci Ribeiro

Durante minhas reflexões naquela tarde – um sábado de aleluia - houve um momento em que me lembrei das primeiras “investidas” na cidade de Águas Lindas de Goiás, logo após o resultado do concurso público em que havia passado na área de Educação. Ao longo do ano aproveitei alguns finais de semana para fazer as visitas ao local que em breve seria o lugar do meu trabalho.

Numa dessas visitas ao final da tarde fui até o Shopping para lanchar e depois no estacionamento, sentado no meu carro comecei a questionar: “O que estou fazendo aqui, neste ‘buraco’ que mais parece o ‘fim do mundo’“?!

Foto tirada no estacionamento do Shopping Águas Lindas em 2012


Sim, diante da surpresa com o lugar e havia também um certo desapontamento com o “abandono” em que deixaram a cidade, em estado lastimável. Os habitantes são pessoas amáveis e calorosas, senti isso logo nos primeiros contatos com os moradores. Sentimento raro em grandes aglomerações humanas. Em Águas Lindas de Goiás, havia uma diferença, mas não sabia o que era.

Somente em meados de junho e julho de 2012 fiquei sabendo do propósito que estava reservado àquela cidade. Entre várias denominações publicadas na mídia, Águas Lindas de Goiás figurou como a “cidade que mais cresceu no planeta” e a “cidade mais violenta do mundo”...

O sucesso nas provas foi uma surpresa. Não somente pela minha idade avançada, mas também pelo fato de não me sentar numa sala de aula há mais de trinta anos. E nem havia estudado o conteúdo das provas devido aos intensos conflitos em um relacionamento pelo qual passava naquela época e a falta de tempo, pois estava desempregado e corria atrás de um serviço para poder pagar minhas contas.


Uma Região Mística

Na década de 70 com um grupo de amigos estive às margens do Rio Descoberto próximo à cidade de Santo Antônio do Descoberto, onde durante uma tentativa de salvar um colega que estava se debatendo num redemoinho na curva do rio, quem acabou sendo “salvo milagrosamente” de um afogamento fatal fui eu. No início dos anos 80, quando morava no Setor O da Ceilândia fazia o trajeto pela BR-070 até a cidade de Cocalzinho.

Todo o sábado estava na minha rota de entregas aquela região. Mesmo que houvesse apenas duas fileiras de casas, vivia pensando em comprar um terreno por ali. As dificuldades da época com três crianças para cuidar, impossibilitaram a concretização deste sonho. Tempos depois, diante das circunstâncias da vida, mudei de profissão e fui parar no Setor de Indústrias Gráficas, no qual permaneci até a minha viagem para o Japão.

Um fato interessante ocorreu em maio de 2000 quando fui parar nesta região de forma “mística”, após uma ocorrência estranha na minha vida. Passei três dias em retiro espiritual na cidade de Cocalzinho. Sete meses depois parti para o Japão.

Na estadia no outro lado do planeta idealizava a minha volta para o interior goiano. Era uma sensação constante e real. Sabia que um dia estaria ali em Goiás.

Depois de uma longa jornada que durou mais de quatro anos recebi a permissão de voltar definitivamente ao interior goiano e, exatamente para a região onde é o município de Águas Lindas de Goiás. Mas, como todo o propósito divino tem suas razões antes que se realize de acordo com a Vontade de Deus, muitos sinais surgiram durante esta caminhada.

Coincidências não existem e sim, uma espécie de sincronização no espaço/tempo que interligam períodos remotos com a atual circunstância. O que precisamos entender é o processo ocorrido na época dos Bandeirantes nos séculos XVI e XVII que cruzaram essas regiões e foram parar na divisa do atual Mato Grosso. A cidade de Goiás (antiga capital do Estado) tem um ponto de referência na história da ocupação deste Estado.

Há sempre uma praça matriz nestas cidades interioranas de Goiás e uma Igreja como centro referencial da região que formava as antigas vilas goianas. E naqueles tempos remotos, ainda existia o regime de escravidão no Brasil. E muitos escravos se refugiaram nesta região após escaparem dos capitães do mato. As terras que vão do bairro de Mansões Olindas até Jardim Alterosa à beira das nascentes que formam a Barragem do Descoberto é um local sagrado, pois é considerado um território dos Pretos Velhos que ajudavam os escravos fugitivos.

A ligação do município de Águas Lindas de Goiás com o de Santo Antônio do Descoberto é que está relacionada ao período dos Bandeirantes e também com a história dos escravos que formaram seus quilombos nesta região. Há acervos históricos sobre este período espalhados pelos municípios desta região goiana. E depois, como é do conhecimento dos habitantes da região do Entorno do DF há uma aura mística em toda essa área do Centro-Oeste brasileiro.

Brasília é considerada a Capital do novo milênio e carrega essa aura mística... É possível detectar essa egrégora em vários lugares da cidade. No município de Santo Antônio do Descoberto temos a Cidade Eclética, em Alexânia, o bairro Olhos D’Água que é bastante místico, já Abadiânia por muito tempo ancorou uma aura mística; Corumbá de Goiás é outro local místico, principalmente no Salto de Corumbá e Cocalzinho de Goiás está encravado na Serra dos Pirineus que possui um imenso potencial energético.

Nos meus estudos e peregrinações por esta região desde a década de 70 encontrei muitos vestígios que marcam a existência de um propósito divino para toda a região do Entorno do DF. E Águas Lindas de Goiás como todos os municípios do Entorno, está dentro da faixa do paralelo 15 a 20 relacionado ao sonho de São João Bosco em agosto de 1883, um santo italiano. Nesta visão do sonho ele relatou a existência de um lago. E os 3 maiores lagos entre estes dois paralelos são o Lago Paranoá (Brasília), o Lago da Barragem (divisa Goiás/DF) e o Lago do Corumbá (Alexânia).


O Jornal Pioneiro de Brasília e a Região do Entorno

Em dezembro de 2012 fui empossado no serviço público da cidade e assumi o trabalho na Escola Municipal Darci Ribeiro no Setor 8 do Parque da Barragem em  16 de janeiro de 2013. Um evento interessante marcou a data que deu início a minha jornada neste município. A Renata Zimmermann fez uma visita neste mesmo dia em Águas Lindas de Goiás, quando estava hospedada em Brasília. Não nos conhecíamos na época, o que ocorreu apenas em 2015 através da Internet.

Durante o ano de 2013 apresentei um projeto na E.M. Darci Ribeiro sobre a criação de um jornal comunitário que viesse a realizar a integração Escola e Comunidade. Em função da transição que ocorria no município pela posse do novo Prefeito e também pela chegada de milhares de servidores públicos, este projeto ficou engavetado. Participei de vários encontros e seminários no bairro e na cidade e este ideal permaneceu sempre na minha mente.

Voltei engessado do HBB
Um acidente enquanto voltava da Secretaria de Educação para a E.M. Darci Ribeiro, ocasionou a interrupção deste sonho. Foi quando sofri lesões na coluna (com fissura) e tive que pedir uma licença para tratamento.

Licença para tratamento em 2016
Quando retornei ao serviço foi detectado maiores danos na coluna e em função do meu afastamento do serviço na escola, decidi junto com a Renata fundar o jornal da cidade com o mesmo projeto. 



Marca do acidente na testa: Dois hematomas "galos".

Nos primeiros contatos com as pessoas foi interessante e até compreensível o questionamento: “Veio buscar votos?”. Ao ouvir aquilo, sorria. Não tenho pretensões políticas-partidárias, muito menos me candidatar a qualquer vaga na Câmara Legislativa, pois não tenho dom para isso e muito menos paciência para ficar preso às agendas parlamentares. O meu objetivo pessoal é dar continuidade ao trabalho que fazia na E.M. Darci Ribeiro e também trazer para a cidade os conhecimentos obtidos durante a minha jornada no Japão, onde a Educação é um dos três pilares da sociedade japonesa.

No Japão, o professor, o policial e o médico são as três profissões mais respeitadas. Numa sociedade milenar, estes três pilares são considerados como pais, protetores e instrutores. Durante minha permanência no Japão tive duas creches onde cuidávamos de crianças brasileiras enquanto seus pais trabalhavam nas fábricas. Foi deste trabalho que criei o Kyuukei Magazine para promover a integração da comunidade brasileira com a sociedade japonesa e, principalmente, manter a unidade familiar dos brasileiros em razão da ausência dos pais em casa, pois trabalhavam de 12 a 14 horas por dia e não tinham tempo de cuidar dos seus filhos pequenos.

Minha paixão por escrever vem da adolescência como já relatei em vários artigos. Esta é a minha praia... Falar de política é algo natural para qualquer cidadão e é o que faço com muita alegria, no entanto seguir uma vida política é ir contra a correnteza e se desviar da minha missão de vida. Prefiro a vida empresarial que é uma marca desde a minha juventude e que foi iniciada na indústria do meu pai na década de 70.

A Cidade e seus Habitantes

Comecei a conhecer melhor a cidade quando passei a trabalhar lá e através das atividades na escola foi possível constatar diretamente os problemas vividos pelos pais de famílias que tinham seus filhos matriculados. A maioria era migrante dos Estados do Piauí e Maranhão. Durante a minha juventude convivi muito com pessoas vindas do Norte e Nordeste do Brasil. Pessoas simples, honestas e trabalhadoras.

E tem sido um dos pontos altos de Águas Lindas de Goiás, o atendimento público nas lojas da cidade. A alegria e a simpatia quando entramos em uma loja. Lembra muito o sistema japonês que é um dos melhores do mundo. Considero o nível de atendimento no comércio acima da média até de Brasília e cidades satélites do DF. Então, há uma contradição entre o rótulo negativo que a cidade tem e a hospitalidade dos habitantes e suas origens.

Foi por isso que me integrei bem na cidade desde o início. Fui bem recepcionado pelos pais na escola como também pelas pessoas que encontrava na rua quando precisava de uma informação. Por isso não é possível catalogar de forma tão negativa a cidade com uma população que beira os 300 mil habitantes. Nos noticiários é fácil verificar que é um número ínfimo em relação ao total da população que causa danos e cria uma imagem desfigurada da realidade. É só viver o dia a dia na cidade.

Os casos de polícia e de corrupção não são exclusivos da cidade, são chagas que infestam toda a sociedade brasileira. Se ficarmos sempre focando nesta direção negativa é certo que potencializamos o mal na cidade e assim passamos a contribuir com esta disseminação. O Jornal Pioneiro de Brasília foi criado para noticiar fatos construtivos e positivos que ocorrem em Brasília, DF e Região do Entorno. 

O propósito é informar os resultados positivos junto à população visando atuar em conjunto com a comunidade contribuindo com o seu crescimento.

Registrar a vida dos pioneiros desta cidade e resgatar as histórias e a identidade desta cidade formada por migrantes e por aqueles que foram deslocados durante a explosão demográfica do Distrito Federal na década de 80, como ocorreu no caso de Águas Lindas. 

Cada família tem suas lembranças e uma história para contar. Para as futuras gerações é fundamental o registro da origem da cidade e dos seus habitantes. Este é um dos propósitos deste jornal digital e o nosso compromisso com a população.

Um grande abraço fraterno,,
Ernesto Shima e Renata Zimmermann.

Postar um comentário

0 Comentários